Você sabia que existem seguros específicos para atletas que treinam na rua e em estradas?

Seguro para atleta - Eu na Correria

Nas férias deste ano viajei para Natal e fui fazer meu longão de 21 km pela cidade. Acho bem divertido correr em lugares onde nunca estive, porque você já mata o treino, curte um visual diferente e aproveita para “turistar”. Eu e meu namorado acordamos bem cedo, passamos bastante protetor solar (não por recomendação do Pedro Bial, mas porque em Natal às 5h faz 30 graus), programamos nossos Garmins, enchemos nossas garrafas de água e lá fomos nós para a pixxxta. Continue reading “Você sabia que existem seguros específicos para atletas que treinam na rua e em estradas?”

Confira o que rolou na 1º edição do IRONMAN Care

No dia 15 de fevereiro, aconteceu a primeira edição do IRONMAN Care, evento idealizado pela empresa Unlimited Sports (organizadora de todas as edições do Ironman no Brasil) em parceria com a Stabilitá Fisioterapia Esportiva, Shimano e Dry Bike.

A ideia de fazer um dia especial para os atletas que participarão pela primeira vez de um Ironman com distância full (3,8 km de natação, 180 km de ciclismo e 42 km de corrida), nasceu de um projeto elaborado pelo fisioterapeuta Rafael Martins, da Stabilitá Fisioterapia, e do empresário e triatleta Mauro Giorchino. “O conceito do IRONMAN Care surgiu após a concepção de um projeto piloto que fiz com a Stabilitá no Iron do Rio de janeiro, em 2016. A partir dessa primeira boa experiência, pensamos em outras possibilidades e assim nasceu a edição care. Juntos criamos uma proposta de um dia diferenciado para os atletas e conversamos com a Unlimited. O objetivo do evento foi de mostrar que qualquer pessoas pode ser um Ironman, mesmo tendo as responsabilidades com a família e trabalho. Além disso, também quisemos mostrar que é importante cuidar da saúde, fazer uma manutenção no corpo e entender mais sobre natação, corrida e bike”, explica Rafael.  Continue reading “Confira o que rolou na 1º edição do IRONMAN Care”

USP anuncia novas regras para assessorias esportivas

Novas regras assessoria USPAtenção assessorias! Nesta semana, a Prefeitura de São Paulo e a Prefeitura do Campus USP  anunciaram novas regras voltadas às assessorias esportivas e aos atletas que usam o local para a execução de treinos. De acordo com o presidente da Associação dos Treinadores, Nelson Evêncio, o novo regulamento foi feito com base no do Parque Ibirapuera e é bom tanto para os profissionais de educação física quanto para os frequentadores. “As ações são para evitar propaganda, banners, mesas e a inibição de áreas isoladas pelas assessorias, o resto tudo bem. O que acontece é que alguns treinadores acabam abusando, principalmente os mais novos, mas temos a autorização para trabalhar normalmente, as mudanças não visam a barrar ninguém”, explica Nelson.

Fique por dentro das novas regras

• Não é permitida a montagem de tendas e coberturas para uso da prática esportiva nem mesmo para proteção contra sol e chuva; Continue reading “USP anuncia novas regras para assessorias esportivas”

É melhor correr na rua ou na esteira?

Correr na rua ou esteira - Eu na Correria Adotar a corrida como prática esportiva é, sem dúvida, um grande passo em direção a uma vida mais saudável. Porém, uma das dúvidas em torno desta atividade, que ganha cada vez mais adeptos, está na escolha entre correr na esteira ou na rua.

 Um estudo realizado por pesquisadores da Universidade de Exeter, na Grã-Bretanha, e dirigido pelo professor Andrew Jones, convidou nove corredores para correr em uma rua, medindo o gasto de energia. Logo depois, ele levou os mesmos voluntários para correr em uma esteira, na mesma intensidade, mas com inclinações diferentes. Ao final da pesquisa, concluiu-se que é possível compensar de forma adequada o esforço extra de correr ao ar livre colocando a esteira a uma inclinação de 1%.

Geralmente, a  opção pela esteira é mais indicada aos iniciantes, pessoas com sobrepeso ou que estejam voltando de alguma lesão, pois impulsiona o corredor para frente, proporcionando um exercício com menos dificuldade, e consequentemente, causando menos impacto nas articulações. Já o treinamento na rua é aconselhado para quem já pratica a atividade, pois exige mais intensidade e condicionamento físico. Ao ar livre o atleta também aprende a lidar com a variação climática, pressão do ar e melhora sua percepção quanto ao ritmo, além de diversificar estímulos mecânicos com subidas, descidas e diferentes tipos de terrenos, ideal para quem tem como objetivo participar de competições.

Corrida no Inverno: dicas para treinar nos dias frios

roupas-tempo-frio

Durante os dias frios, muitos corredores burlam os treinos por causa dos desconfortos relacionados à condição climática, mas as dificuldades físicas enfrentadas durante baixas temperaturas ou períodos chuvosos podem ser superadas com alguns cuidados básicos. Confira algumas dicas da unidade MIP (medicamento isento de prescrição) do Aché Laboratórios. Continue reading “Corrida no Inverno: dicas para treinar nos dias frios”

Preparação para ultramaratona de revezamento Bertioga – Maresias

Preparação maratona Bertioga Maresias - Eu na CorreriaEstamos a uma semana da prova de Bertioga – Maresias, e quem vai participar da maratona de revezamento, provavelmente, já está preparando-se há algum tempo para a competição, seja para correr solo ou em equipe. Quem já foi, sabe o quanto o percurso é desafiador e o quanto é importante investir nos treinos. Mas para quem vai pela primeira vez, talvez, saber sobre alguns detalhes seja útil.

O educador físico e corredor Mamede Cazelli, que vai participar da primeira edição deste ano (2016)  em grupo, mas prepara-se para fazer a segunda edição solo, dividiu sua experiência de treinamento com o Eu na Correria e também compartilhou algumas dicas para evitar qualquer tipo de perrengue. Continue reading “Preparação para ultramaratona de revezamento Bertioga – Maresias”

Assessoria esportiva melhora o desempenho na corrida?

corrida-em-grupo-470x313Iniciar na corrida nem sempre é fácil, mas depois de começar e provar para si mesmo que é possível fazer 10, 15 ou mais quilômetros, parece que algo transformador acontece: passamos a querer tempos menores e distâncias maiores. Nessa busca por evolução, muitas pessoas optam por contratar uma assessoria esportiva, mas será que existe um momento certo para investir no serviço?

De acordo com o educador físico e triatleta Eduardo Albuquerque, não há um momento tão específico para fazer essa escolha. “A assessoria funciona bem tanto pra quem está iniciando, seja na corrida, triátlon ou mesmo na caminhada, quanto para quem já está num ritmo mais avançado. Na assessoria EDU ULTRA TEAM, por exemplo, temos uma metodologia que atende desde o iniciante, que nunca teve contato com o esporte, até alunos mais experientes, que procuram a melhora de sua performance”, avalia. Continue reading “Assessoria esportiva melhora o desempenho na corrida?”

Menstruação pode influenciar desempenho na corrida

Corredora-cansada-700x325

Sem querer entrar em discussões de gênero, já está mais do que provado que na área esportiva as mulheres conseguem fazer as mesmas coisas que os homens. Contudo, há um fator que as diferencia da ala masculina: a menstruação. Pensando em rendimento, é bastante comum as mulheres que correm se questionarem se o período menstrual pode afetar o desempenho e, de acordo com Eduardo Albuquerque, educador físico, ultramaratonista, triatleta e administrador da assessoria esportiva Edu Ultra Team, a resposta é SIM; porém, em intensidades diferentes variando de mulher para mulher.

“Isso acontece porque as mudanças fisiológicas causadas pelo estrogênio (hormônio sexual feminino produzido pelos ovários e liberado na primeira fase do ciclo menstrual) e pela progesterona (hormônio produzido pelas células do corpo lúteo do ovário) aumentam durante a prática de atividades físicas, principalmente se ela for intensa. Por isso, é importante conhecer o corpo e o fluxo da menstruação, para poder planejar uma rotina de treino adequada”, explica. Continue reading “Menstruação pode influenciar desempenho na corrida”

Cansaço e estresse podem prejudicar o rendimento na corrida

Corredor-cansado-Locos-Por-Correr-motivacion-01A maioria das pessoas tem uma rotina bem agitada, e ao longo do dia há quem precise dividir o tempo entre família, trabalho, estudo e amigos. Para quem treina, essa correria pode ser ainda pior, considerando que é preciso esforçar-se para achar uma brechinha na agenda e cumprir os treinos. Em meio a tantos compromissos, é natural sentir-se fadigado ou estressado, e isso pode fazer toda a diferença nos resultados.

De acordo com Eduardo Albuquerque, educador físico, ultramaratonista, triatleta e administrador da assessoria esportiva Edu Ultra Team, a relação entre treinamento e rendimento é relativa. “É muito comum me perguntam se o cansaço ou estresse fazem com que o rendimento seja comprometido, mas essa é uma pergunta que temos que tomar bastante cuidado ao responder, levando em conta que o estresse e os problemas do dia a dia fazem parte da rotina de quase 100% da nossa sociedade. Tenho bastante alunos que vivem uma rotina de estresse, seja com metas a serem batidas no trabalho ou algum tipo de  pressão familiar; no entanto, em alguns casos, o treinamento entra exatamente como uma válvula de escape. Às vezes, a pessoa passa o dia todo estressado tentando resolver um determinado problema e não consegue achar a solução e quando vai fazer seu treinamento, consegue pensar em uma solução para seus dilemas pessoais. Mas pensando em um atleta com um nível técnico mais avançado, qualquer desvio de foco é capaz de afetar sua performance. Por isso tenho o costume de dizer que o nosso maior adversário esta dentro de nós mesmos”, explica Eduardo.  Continue reading “Cansaço e estresse podem prejudicar o rendimento na corrida”

Cuidados para manter o sistema imunológico fortalecido

body defense

Composto por milhões de células de diferentes tipos e funções, o sistema imunológico é uma espécie de barreira defensiva em que, diariamente, garante a proteção do organismo contra o ataque de bactérias, vírus e micróbios, mantendo o corpo livre de doenças. No entanto, quando o sistema imune enfraquece por alguma razão, gripes, resfriados e infecções podem tornar-se recorrentes.

“Nosso organismo está sempre lutando para manter o equilíbrio entre as diversas funções do corpo, e é isso que entendemos por saúde. Mas esse equilíbrio pode se perder por vários motivos, passando por fatores congênitos ou genéticos; má alimentação, levando a deficiências nutricionais, desidratação e o acúmulo de toxinas; até fatores emocionais como depressão e estresse. Tudo isso pode colaborar para uma baixa do sistema imunológico”, explica Leila Loutfi, médica geriatra, homeopata, nutróloga e ortomolecular.

A importância da alimentação e seus nutrientes

alimentação-saudável

Apesar de haver inúmeros fatores que contribuem para esse enfraquecimento, a alimentação desempenha um papel essencial na imunidade, pois é por meio de nutrientes e vitaminas encontradas nos alimentos que o sistema imunológico tem condições de fortalecer e renovar células e substâncias necessárias.

“Todas as vitaminas são importantes, mas, entre elas, a principal ainda é a vitamina C, campeã no papel de resistência às infecções, seguida de perto das vitaminas A e E. Já a vitamina D, que até há pouco tempo achava-se que estava ligada apenas ao metabolismo de cálcio, hoje, é reconhecida tento papel importantíssimo na imunidade, inclusive, sendo usada como medicamento em tratamento de doenças autoimunes”, afirma Leila.

Segundo a médica, não apenas as vitaminas podem elevar o sistema imunológico, mas também os minerais, principalmente zinco, cobre, manganês e selênio; potentes antioxidantes que agem em sinergia com as vitaminas. Além disso, aminoácidos, como a taurina, a arginina, a lisina, entre outros, e ainda ácidos graxos, como o ômega 3, têm a função de reforçar as defesas do organismo.

Atividade física ajuda a fortalecer o sistema imunológico?

dicas-para-melhorar-postura-corrida

No caso de um indivíduo debilitado, com a imunidade já muito baixa, a atividade física pode comprometê-lo ainda mais. Mas se a pessoa está com a saúde em dia, a atividade física moderada ajuda a combater o estresse, além de melhorar a oxigenação dos órgãos, aumentar o ganho de massa magra, diminuir a massa gorda, que é pró-inflamatório, reforçando consideravelmente o sistema imunológico.

Insônia e estresse, violões do sistema imunológico

Os dois principais hormônios do estresse são a adrenalina e o cortisol, ambos altamente produtores de radicais livres. Esses hormônios devem ser neutralizados por substâncias que o corpo produz com efeito antioxidante e para produzir essas substâncias, o organismo consome nutrientes que acabam ficando em falta para manter o sistema imunológico.

“Além do estresse, existe o ciclo conhecido como sono-vigília, comandado pela melatonina (que nos faz dormir) e o cortisol (que nos faz acordar pela manhã e ter disposição para enfrentar o dia). Quando esse ciclo se perde, por estresse, ansiedade, intoxicações ou falta de nutrientes para manter nossa barreira defensiva alerta, também há um impacto negativo no sistema imunológico. Tanto que hoje usamos a expressão ‘eixo psico-neuro-imuno-endócrino’, pois todos esses sistemas estão relacionados”, finaliza a médica.

Evite alimentos industrializados

Outro ponto importante é evitar ao máximo alimentos industrializados, pela grande quantidade de produtos químicos que prejudicam o metabolismo. E também alimentos considerados pró-inflamatórios, como o excesso de açúcar, laticínios e glúten. “O ideal seria uma alimentação variada, o mais natural possível, orgânica de preferência, com ênfase em nutrientes específicos para cada disfunção”, ressalta Leila.