Pai e filho na correria – conheça a história de Rodrigo e Biel

Rodrigo e Biel, pai e filho correm juntos - Eu na CorreriaA história inspiradora da vez é do Rodrigo Rocha, 36, e seu filho Gabriel, 14. Parceiros de corrida há três anos, quem passa pela dupla nas provas em que participam se surpreende pela maneira atípica com que os dois encontraram para fazer corridas de rua. Biel, como é carinhosamente chamado, tem paralisia cerebral e por causa dos problemas motores, muitos de seus movimentos foram comprometidos. Mas, aos olhos de Rodrigo – um pai ousado e cheio de amor -, isso nunca foi uma grande impedimento para que o filho pudesse viver um pouco do que os corredores vivem.

Rodrigo, que quando mais novo competia em provas de natação e pedalava por hobby, nunca chegou a levar a corrida muito a sério, até que depois de um convite, tudo mudou. “Um amigo me chamou para participar de uma corrida organizada pela academia em que eu malhava. Biel estava comigo quando ele chamou e mostrou interesse em ir, mesmo não sabendo do que se tratava. O levei de cadeira de rodas para a rua, apenas para assistir, mas decidi correr com ele e fomos para a largada. A adrenalina foi demais! Foi fantástico ver Biel sorrindo e curtindo aquele momento”, relembra. Na ocasião, Rodrigo percorreu 5 quilômetros empurrando uma cadeira de rodas, sem qualquer tipo de adaptação, e fazendo muito esforço.

Mas o que parecia dificuldade tornou-se superação. A história de correr levando o Biel ficou tão séria que em menos de dois anos após essa primeira prova, pai e filho estavam inscritos numa maratona. “Nossa primeira maratona foi a do Rio de Janeiro, em 2015. E percorremos os 42 quilômetros juntos sem nunca ter feito essa rodagem em treino”, conta.

Além de concluírem a prova com êxito, pai e filho emocionaram o público presente, quando Rodrigo, nos últimos 200 metros, deu uma pausa, pegou o filho nos braços e seguiram juntos em direção à linha de chegada. “Perguntei para uma amiga cadeirante qual era a emoção (de participar de uma prova) e ela me disse que, no caso dela, sentia falta de tocar o chão com os pés e cruzar a linha de chegada andando. Não sei se as palavras foram
essas, mas guardei. A partir disso, todas as corridas longas o Gabriel termina andando”, explica.

Rodrigo e Biel, pai e filho correm juntos - Eu na Correria

Depois da primeira maratona, Rodrigo e Biel tornaram-se figuras queridas na prova do Rio e este ano, os dois voltaram a encantar os atletas participantes e o público que assistia a corrida. “É fantástico. Onde passávamos aqueles que não nos conheciam aplaudiam. Os que já conheciam gritavam vai Biel, e ele adora, responde acenando com as mãos.
Quando passamos por postos de água, por exemplo, sempre aparece outro corredor nos oferecendo água, sabendo da dificuldade que é empurrar o triciclo e pegar a água nas mãos”.

Quem empurra quem?

Nas redes sociais, Rodrigo costuma usar muito a frase: “Eu o empurro, mas é ele quem me leva”, e o pai explica o porquê da expressão ter tanto sentido em sua vida. “Quando descobrimos (Rodrigo e a esposa) o problema do Biel, no início, a mãe teve muita dificuldade em entender e aceitar as coisas. Eram muitos questionamentos, muitos porquês e eu sempre fui mais forte e procurava passar para ela que a vida é assim mesmo, que haveria um propósito para estar ocorrendo e ser assim. Hoje, não existem mais perguntas desse tipo, é só alegria. Aprendemos a viver de forma especial. E, quando vou fazer as provas com o Biel, acredito que tenho uma sensação de prazer bem maior que qualquer outro corredor. Quando cruzamos a linha de chegada e eu olho para ele, enxergo sua vibração, felicidade e o êxtase do momento. Para mim é uma sensação de dever cumprido, dever de um pai em fazer o filho ser feliz”, compartilha.

Rodrigo e Biel, pai e filho correm juntos - Eu na Correria

Rodrigo e Biel, pai e filho correm juntos - Eu na Correria

Novos desafios

Agora, Rodrigo e Biel se preparam para um novo desafio: a Muralha, maratona com largada na cidade de Penedo, (RJ), e chegada em Visconde de Mauá, (RJ). Mas a ambição dos dois não para por aí. “Além das maratonas, nosso desejo ainda é fazer uma prova de triátlon por completo”, revela.

Rodrigo e Biel, pai e filho correm juntos - Eu na Correria

Rodrigo e Biel, pai e filho correm juntos - Eu na Correria

<span class="genericon genericon-category"></span> <span class="genericon genericon-tag"></span>