Menstruação pode influenciar desempenho na corrida

Corredora-cansada-700x325

Sem querer entrar em discussões de gênero, já está mais do que provado que na área esportiva as mulheres conseguem fazer as mesmas coisas que os homens. Contudo, há um fator que as diferencia da ala masculina: a menstruação. Pensando em rendimento, é bastante comum as mulheres que correm se questionarem se o período menstrual pode afetar o desempenho e, de acordo com Eduardo Albuquerque, educador físico, ultramaratonista, triatleta e administrador da assessoria esportiva Edu Ultra Team, a resposta é SIM; porém, em intensidades diferentes variando de mulher para mulher.

“Isso acontece porque as mudanças fisiológicas causadas pelo estrogênio (hormônio sexual feminino produzido pelos ovários e liberado na primeira fase do ciclo menstrual) e pela progesterona (hormônio produzido pelas células do corpo lúteo do ovário) aumentam durante a prática de atividades físicas, principalmente se ela for intensa. Por isso, é importante conhecer o corpo e o fluxo da menstruação, para poder planejar uma rotina de treino adequada”, explica.

Para entender melhor o ciclo menstrual, é preciso dividi-lo em três fases: folicular, luteiníca e ovulatória. O período folicular acontece do início da menstruação até a ovulação, é o processo em que acorre o crescimento do folículo do ovário, durando de 12 a 14 dias. Pode-se dizer que, após a menstruação, essa é a fase de bem-estar e disposição, ou seja, momento oportuno para otimizar o rendimento na corrida.

A fase ovulatória é mais rápida, dura cerca de 16 a 32 horas e marca o início do tal período fértil. Nesse processo, o óvulo prepara-se para ser fecundado, mas caso não aconteça, ele continua seu percurso natural e também não afeta o desempenho.

Já a fase luteiníca é a mais chatinha. Ela inicia-se após a ovulação, por volta do 15º dia do ciclo, e prossegue até o dia da menstruarão. Nesse momento, o nível de estrogênio cai e a progesterona aumenta, dando fim ao período fértil, provocando alterações no corpo e resultando na TPM. “É importante lembrar os dias que antecedem a menstruação podem ser bem complicados para as mulheres que sofrem de TPM. Os sintomas podem variar, mas os mais comuns são dores de cabeça, cólicas na região abdominal, retenção de líquidos e variações de humor. Sintomas esses que podem causar certa indisposição”, analisa Eduardo.

Sendo assim, os treinos de intensidade podem ficar mais difíceis nesse período, mas, segundo o profissional, não é preciso deixar de treinar. “Muitas vezes, apenas com a diminuição da intensidade os treinos podem se transformar em aliado, já que o mesmo promove a liberação de endorfina e auxilia na melhora da retenção de líquidos”, pontua.

Mal-estar excessivo pode ser falta de ferro

79_corredoracansada600px

A perda de ferro é outro ponto importante a considerar, pois uma anemia, mesmo que leve, pode deixar a mulher menos disposta e com sensação de fraqueza. “Se a atleta sempre se sente mal ao praticar exercícios durante a menstruação é importante que ela procure por um médico e peça exames clínicos que comprovem a real necessidade de suplementação de ferro. Contudo, se sua menstruação é tranquila e o fluxo está dentro do normal, é provável que a mulher sinta pouca diferença ao longo do ciclo. De qualquer forma, meu conselho é: fique atenta ao seu rendimento em cada uma dessas etapas e converse com seu treinador, respeite o ritmo do seu corpo e, assim, será possível trazer mais benefícios para o treino”, finaliza.

<span class="genericon genericon-category"></span> <span class="genericon genericon-tag"></span>