Pronada, supinada ou neutra, qual seu tipo de pisada?

Marathon runners on road, low section
Marathon runners on road, low section

Os tênis de corrida são elementos fundamentais na hora de colocar o pé na tábua e é muito comum as pessoas associam a qualidade do tênis ao valor do produto, ou seja, quanto mais caro melhor. No entanto, para identificar se o calçado é adequado, não basta preocupar-se apenas com o preço. A primeira análise que os praticantes de atividades físicas devem fazer é qual o tipo de pisada que têm, para, então, procurar pelo tênis ideal.

O modo como se pisa é determinado a partir das características anatômicas de cada indivíduo, como, por exemplo, os tipos de pé, joelhos e flexibilidade nas articulações. No entanto, ainda que cada pessoa pise de uma maneira, costuma-se generalizar as pisadas em três tipos específicos: neutra, pronada e supinada.

De acordo com o médico ortopedista Caio Magnoni, da academia Acqua Sport, a pisada neutra é considerada a correta, pois equilibra a pronação e supinação dos pés. Dessa forma, cria uma absorção de choque eficiente quando a pessoa faz o apoio da pisada. A pronação acontece quando há uma rotação interna excessiva do pé e do tornozelo. “Pessoas que têm pisada pronada, geralmente, desgastam a parte lateral interna do calçado”, explica. Já a supinação é o oposto da pisada pronada, e o que acontece nessa situação é que a pessoa faz o apoio na parte lateral externa do pé.

Na pronação, a pisada errada pode acarretar no desalinhamento dos tornozelos, joelhos e quadris. E na supinação, como o peso do corpo do corredor fica nos dedos de fora, pode gerar lesões, principalmente nos joelhos, pés e costas. “Os problemas não surgem de imediato. Inicialmente, é comum ter bolhas, rachaduras e tendinites; e, posteriormente, lesões mais graves como joanete e artrose”, ressalta o ortopedista.

Sharp_20130925_125050_001

Identifique seu tipo de pisada

A maneira mais correta de descobrir como se pisa é procurar um ortopedista, de preferência especializado em tornozelo e pé. Algumas lojas especializadas em tênis também oferecem avaliação baropodométrica, na qual uma esteira com sensor identifica o tipo de pisada de acordo com o impacto do pé. Contudo, caso o acesso a esses métodos seja inviável, testes caseiros podem ajudar. “O diagnóstico é bem simples: primeiro pode-se analisar um calçado bastante utilizado no dia a dia e ver qual área está mais gasta. Outro meio é pegar um jornal, molhar o pé na água e pisar sobre o jornal”, ensina o ortopedista.

Runner - running shoes closeup

Qual o tênis certo?

Durante uma corrida, quando o pé atinge o solo, aplica-se uma força de aproximadamente oito vezes o peso corporal. E o resultado dessa força é distribuído de forma correta quando o corredor está usando tênis adequados. Por isso, as grandes marcas fabricantes de tênis têm se preocupado em melhorar seus produtos com fatores como a absorção do impacto que previne lesões e torções durante a atividade. Sendo assim, é essencial que, na hora da compra, as características das pisadas sejam levadas em conta.  Caio ainda alerta que embora a identificação do tipo de pisada seja importante, existem outros detalhes que podem influenciar no momento da escolha do tênis certo. “O ideal é ir comprá-lo no fim do dia, pois os pés estarão inchados; calçar os dois tênis, porque existe diferença de tamanho entre os pés; verificar se o dedão ficou a dois centímetros da ponta do calçado e é fundamental andar pela loja para avaliar se não existe nenhuma folga”, aponta.

<span class="genericon genericon-category"></span> <span class="genericon genericon-tag"></span>